24/05/2018

Banco Central adota postura conservadora e mantém a Selic em 6,5%


Banco Central adota postura conservadora e mantém a Selic em 6,5%


A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) avalia que o Banco Central (BC) foi conservador ao manter a Selic em 6,5% ao ano e que essa é uma indicação de que se encerra o ciclo de queda dos juros para 2018. Tal medida tem suas justificativas, dado que o BC vinha reduzindo a taxa desde 2016, quando seu patamar era superior a 14%. A Entidade apoiou as decisões do BC durante todo o processo de redução de juros e espera que, no médio prazo, o País termine de fazer seu ajuste fiscal permitindo não só a queda mais acentuada de juros, como também impedindo que em 2019 haja outro ciclo de alta da Selic.

Para a assessoria econômica da FecomercioSP, o Banco Central foi bastante eficiente em reduzir os juros na medida do possível e, ao mesmo tempo, controlar a inflação, que terminou o ano de 2017 abaixo do piso da meta (2,98%) e não há indícios de fortes pressões a curto prazo, já que o IPCA acumula 2,76% nos últimos 12 meses.

Na análise da Federação, há fatores importantes que mantêm as condições para a permanência dos juros relativamente baixos no Brasil – para os padrões do País –, inflação contida e atividade fraca. Do ponto de vista internacional, apesar da liquidez ainda elevada, é esperado um ciclo de ligeira alta nas taxas de juros na Europa e nos Estados Unidos, o que limita um pouco uma queda mais acentuada no momento. Há também uma pressão no câmbio, e se essa alta do dólar prevalecer por muito tempo, as pressões inflacionárias vindo de fora podem aparecer.

Outro limitador para que o Brasil tenha taxas de juros reais de 0% a 1%, como no resto do mundo desenvolvido, é a situação fiscal, que, apesar de ter uma trajetória melhor do que tinha no passado recente, ainda inspira cuidados.
A assessoria econômica da Entidade avalia que, infelizmente, o Brasil ainda não apresenta as condições de estabilidades fiscal, política e econômica em geral que permitiriam ao País ter taxas de juros em padrões invejáveis como nos Estados Unidos ou na Europa, abaixo de 2% ao ano, mas pode ser que estejamos caminhando para isso, a depender de nossa maturidade política que vai definir, por sua vez, os caminhos econômicos.

Sobre a FecomercioSP
A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) é a principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços. Congrega 138 sindicatos patronais e administra, no Estado, o Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A Entidade representa um segmento da economia que mobiliza mais de 1,8 milhão de atividades empresariais de todos os portes. Esse universo responde por cerca de 30% do PIB paulista - e quase 10% do PIB brasileiro -, gerando em torno de 10 milhões de empregos.

Mais informações:

Assessoria de imprensa FecomercioSP


Subir